Embalagem mídia do futuro

Inserido por 28 de agosto de 2018 Notícias 1 comentário

Compartilhe:

Por Fabio Mestriner

Surgida para atender suas funções básicas de conter, proteger e transportar os produtos, a embalagem foi ganhando novas funções com os avanços tecnológicos e o progresso da sociedade pós-industrial. Um ponto de inflexão no papel da embalagem ocorreu quando os antigos armazéns, e seus atendentes de balcão, foram substituídos pelos supermercados e pelo sistema de auto-serviço.

Atualmente a embalagem incorporou funções de marketing uma vez que apenas 10% dos produtos tem apoio de propaganda ou promoção. Nos últimos anos começou a incorporar também as funções de mídia quando se percebeu que muitos produtos alcançam tiragens de milhões de unidades/mês e podem, portanto, conduzir mensagens que atingem milhões de pessoas.

Estas descobertas, por mais óbvias que possam parecer, levou os fabricantes a explorar o potencial de comunicação de suas embalagens e os resultados obtidos têm estimulado o aprofundamento desta utilização.

Em recente mesa redonda realizada entre especialistas no assunto, um ponto que mereceu destaque foi a fragmentação das opções existentes e a dificuldade que os profissionais de mídia têm hoje em dia para quantificar e alocar seus investimentos. Os métodos e conceitos tradicionais estão sendo ajustados aos novos tempos e os dispositivos de mensuração incluem novos mecanismos.

A propósito desta discussão cabe uma reflexão para os novos papéis destinados à embalagem no contexto da evolução de nossa sociedade e seu comportamento de consumo.

Quando pensamos para a mídia do futuro temos que olhar não apenas para os veículos, as novas tecnologias, a convergência digital e outros aspectos similares, mas principalmente para o consumidor do futuro. Questões como: o que ele estará fazendo com seu tempo? Quais as mudanças no seu modo de vida podem ser vislumbradas? E assim por diante.

Mudanças importantes não acontecem de uma hora para outra, seus sinais podem ser percebidos e as tendências detectadas com antecedência. A redução do custo dos automóveis, por exemplo, catapultou a produção destes veículos, a abertura do nosso mercado trouxe para o Brasil quase todos os fabricantes mundiais. Hoje são mais de 30 marcas entre carros e caminhões aqui fabricados. Isso congestionou o trânsito das grandes cidades e explodiu a audiência do rádio que, como mídia, é hoje de grande importância para o público que tem automóvel.

Com a embalagem acontece fenômeno semelhante. Não importa o quanto a sociedade evolua e se transforme nas próximas décadas, as pessoas continuarão a consumir os produtos e as embalagens serão os meios pelos quais eles chegarão até os consumidores. Junto com o produto as embalagens transportam mensagens que podem ser equacionadas para funcionar como uma mídia eficiente.

Outra conclusão surgida na mesa redonda é que a interatividade com o consumidor da mensagem será cada vez mais importante e aqui também a embalagem tem um grande papel a desempenhar.

A Coca-Cola da Inglaterra criou uma promoção usando a embalagem como suporte que ilustra bem este conceito. Na face interior do rótulo da garrafa estava impressa uma senha a ser utilizada no site www.mycokemusic.com, que dava direito a baixar músicas em MP3, escolhidas entre 250 mil tracks de mais de 8500 artistas.

A utilização da embalagem como suporte para ações promocionais já é bastante conhecida e utilizada, mas sua função como veículo de comunicação e indutor de interatividade está apenas começando.

Existe todo um universo de possibilidades a ser explorado com efeitos ainda imprevisíveis.

O certo é que a embalagem terá um papel de destaque na mídia do futuro, pois constitui uma ligação direta com o consumidor, adentrando os recantos mais íntimos de sua vida e estando presente em vários momentos de consumo ao longo do dia.

Os profissionais de marketing e comunicação precisam estar atentos a esta nova ferramenta e se prepararem para melhor utilizá-la.

 

Fabio Mestriner

Professor do MBA de Marketing da Fundace USP

Professor do curso de pós graduação em engenharia de embalagem da Escola de Engenharia Mauá.

Autor dos livros:  Inovação na Embalagem – Método Prático 

Design de Embalagem Curso Avançado  e Gestão Estratégica de Embalagem

1 comentário

  • Cristina disse:

    Fabio, é sempre bom ler a suas reflexões sobre a importância da embalagem como veículo de comunicação entre tantas outras funções.
    Aproveito para destacar o papel da embalagem como suporte para informações que ajudam a instruir o consumidor com relação a aspectos de sustentabilidade.
    Sabemos que a embalagem não chega sozinha até os rios e mares. É fundamental que as pessoas se conscientizem de que a embalagem pós-consumo precisa ser descartada corretamente para que possa se transformar em outra embalagem novamente.
    Parabéns pela visão sempre lúcida e otimista daquilo que é para nós, profissionais de embalagens, motivo de orgulho e paixão.

Comente

Seu e-mail não será publicado.

Quer mais informações ou tirar dúvidas? Fale com a gente